Manhãs especiais
27/01/2017
Exibir tudo

Em alguns dias ocorrerão as festividades de Carnaval. Quando a Igreja Católica instituiu na Idade Média a quaresma (período de jejuns e abstinência até a Páscoa), criou-se também essa festa, na qual se comia, bebia e participava de celebrações em incessante busca dos prazeres, com o relaxamento das restrições morais. Para ser prático: pecava-se o tanto que se podia antes do período de “pedido de perdão”.

Atualmente, Carnaval é literalmente conhecida como a “festa da carne”. A exposição dos corpos e a prática de todas as formas de práticas carnais, demonstram nada mais do que o destemor da Sociedade atual com a ordem de Deus quando disse: “sede santos porque Eu, o Senhor, sou Santo”.

As consequências são cruéis. Passando o Carnaval ficam os rastros de uma tragédia: mortes violentas, uso de drogas, doenças sexualmente transmissíveis, etc., são partes do “banquete” (e da sua “indigestão”) oferecido pelo inimigo.

Que os nossos Jovens, porém, assim como Daniel e seus amigos, decidam não se contaminar com esse “manjar” da Babilônia. Aliás, nos deixa feliz saber que muitos abandonando a carne, adoram a Deus em espírito e em verdade. Afinal, mesmo em meio a um mundo em trevas, os olhos do Senhor buscam os fiéis da terra para habitarem com Ele.

Legenda da foto: Presbítero Valdemiro, Sede ADBC